Domingo, 22 de JULHO de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Oi, filho

Um alerta sobre os acidentes domésticos

por Vinicius Ferrari | Publicada em 21/02/2018 às 10h13| Atualizada em 26/02/2018 às 11h55

A foto que ilustra a coluna de hoje é feia e parte o coração de todo o papai e mamãe, mas ela cumpre exatamente o papel dela: chamar a atenção para os acidentes domésticos, tão comuns quanto achar uma criança que gosta de Galinha Pintadinha*. O Benício caiu do sofá e nessa foto não dá para ver o lábio inchado e nem a sangueira que saiu do narizinho dele. Não dá para ver a mãe dele chorando apavorada quando aconteceu, nem dá para ver a gente correndo do almoço de domingo para levar ele para o hospital.

O Beni caiu do sofá enquanto dormia, provavelmente se levantou quietinho e pulou o GIGANTESCO cercadinho que fizemos com almofadas ao redor dele. Ele sempre dormiu na ponta do sofá da vó e nunca caiu. O tio dele faz exatamente a mesma coisa três meses mais que o Beni, e nunca caiu. Mas então por que raios esse menino caiu do sofá, Vini? Porque criança desafia probabilidades, não está nem aí para porcentagens e não quer nem saber se o pato é macho: eles vão aprontar quando você menos esperar. Assim como ele puxou o pinheirinho por cima de mim, perto do natal, enquanto eu conversava ao telefone.

 

 

Depois que a gente vira pai/mãe, parece que todos os lugares que a gente vai vira uma eterna gincana para tentar descobrir quais elementos podem ser perigosos para os pequenos. E qualquer coisa, qualquer coisa MESMO pode servir para a criança se machucar, cair, puxar por cima, se afogar, se queimar, se cortar, tropeçar, pôr a mão molhada... As histórias mais estupefatas são contadas para os pais de primeira viagem: como a criança que caiu de cabeça em um balde d’agua, outra que comeu comida de cachorro, outra que entalou a bunda em uma panela (minha preferida, beijo sogra), a que pegou uma gillete de fazer barba do pai e raspou as duas sobrancelhas (#RealOficial, beijo mano) ou outro que enfiou uma miçanga dentro do nariz (eu, ehehhe).

Uma das minhas histórias preferidas sobre o tema é uma lembrança de infância. Meu primo,  meu irmão e eu brincávamos de guerra de barro nos fundos de casa quando o meu primo foi acertado no olho pelo meu irmão. Como ele era o mais velho da trupe, quis resolver a situação sozinho ao invés de chamar um adulto. Enrolou um pedaço de algodão (desses que dá na árvore, sabe?) em uma LASCA DE MADEIRA e estava com o negócio quase no olho do primo, que estava apavorado. Por sorte minha tia chegou a tempo e suspendeu a cirurgia de remoção de terra, que poderia ter removido uma córnea. Acidentes domésticos acontecem todos os dias, em todos os lugares e não há nada que possa ser feito além de redobrar, triplicar, quintuplicar os cuidados com os pequenos.

Depois de visitar três médicos e um raio X, nos asseguramos que o Beni está bem. Ainda medicado, bem choroso por conta do tombo e da dor que o pequeninho deve estar sentindo, com dificuldade para dormir e respirar. Há dois dias não dormimos direito também, mas tudo isso vira nada quando ele sorri pra gente com o sorriso de três dentinhos e meio mais lindo do mundo.

_________________

* A Galinha Pintadinha se tornou a “artista feminina” com mais visualizações no Youtube do mundo, desbancando Rihanna. Essa galinácea vai dominar o mundo.

 

 

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS