Sabado, 15 de DEZEMBRO de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

3º Neurônio | cinema

Relembrando Bud Spencer

por Diego Nunes | Memória Cinematográfica | Publicada em 29/06/2018 às 15h59| Atualizada em 09/07/2018 às 17h38

Eternizado pela dupla com Terence Hill, com quem atuou em quase 20 filmes, Bud Spencer na verdade chamava-se Carlo Pedersoli, e nasceu em 31 de outubro de 1929, em Santa Lucia, na região de Nápoles.

Na escola, o jovem Carlo demonstrou habilidades para o esporte, e apesar de praticar vários deles, optou pela natação, ganhando vários prêmios escolares. Em 1940 mudou-se com a família para Roma, onde continuou seus estudos e matriculou-se em um clube de natação. Formado com as melhores nota da turma, cursou a faculdade de química na Universidade Spienza, de Roma.

Sua família mudou-se para o Brasil em 1946, passando a residir em Recife, Pernambuco. Carlo Pedersoli então conseguiu um emprego no consulado italiano na cidade, onde permaneceu até 1949. Nesta época, aprendeu a falar fluentemente o português, uma das seis línguas que ele falava.

 

: Ficha de imigração de Bud Spencer (ainda Carlo Pedersoli), ao chegar ao Brasil em 1946

 

Em 1949 ele retornou à Itália, e retomou a carreira na natação, passando a jogar pólo aquático pela  Società Sportiva Lazio Nuoto. Ganhou o campeonato italiano de natação e bateu recordes nacionais nas piscinas. Ainda em 1949 fez sua estréia em campeonatos internacionais.

 

Bud Spencer em campeonato de natação em 1950

 

 

Em 1951 participou dos Jogos do  Mediterrâneo de Alexandria (Egito), ganhando a medalha de prata na modalidade 100 metros livres. Ele ainda disputaria as Olimpíadas de Helsinque (Finlândia, 1952) e Melbourne (Austrália, 1956). Como jogador de pólo aquático ganhou a medalha de ouro nos Jogos do Mediterrâneo de Barcelona, na Espanha, em 1955. Em 1957, deixou a natação.

E foi justamente a natação que o levou para o cinema. Em 1950, antes de se tornar um atleta olímpico, o diretor Camillo Mastrocinque precisava de um atleta das piscinas para uma cena do filme Quel Fantasma di mio Marito (1950). Era preciso de um nadador experiente para fazer uma cena onde a atriz Mady Saint-Michel era salva de se afogar em uma piscina, e Camillo escolheu o jovem de corpo atlético que ele vira nadando.

 

Bud Spencer salvando Mady Saint-Michel em Quel Fantasma di mio Marito (1950)

 

Bud Spencer então tomou gostou pelo cinema. Ele conseguiu então um papel como um guarda imperial e em Quo Vadis (Idem, 1951), uma superprodução norte-americana, feita pela MGM, filmada na Itália. Ele seguiu fazendo pequenos papéis em filmes como Torpedos Humanos (Siluri Umani, 1954), Um Herói de Nossos Tempos (Un Eroe dei Nostri Tempi, 1955), Adeus às Armas (A Farewell to Arms, 1957) e Aníbal, O Conquistador (Annibale, 1959).

 

Peter Ustinov e Bud Spencer em Quo Vadis

 

Rock Hudson, Vittorio de Sica e Bud Spencer em Adeus às Armas

 

Em 1960 ele se casou com Maria Amato, filha do produtor de cinema Guiuseppe Amato. Nesta época, ele assinou contrato com a RCA Records para escrever letras de música para cantores como Nico Fidenco e Ornella Vanoni. Também tornou-se produtor de documentários para a RAI, a televisão pública italiana.

Afastado das telas de cinema desde 1959, em 1967 o produtor Giuseppe Colizzi o convidou para estrelar o filme Deus Perdoa... Eu Não (Dio Perdona... Io no!, 1967). Colizzi não só lhe deu sua grande chance no cinema, mas o uniu ao ator Mario Girotti, criando uma das duplas mais famosas do cinema. Por considerar seus nomes italianos demais, o produtor pediu que eles escolhessem nomes mais americanos, e Mario tornou-se Terence Hill, enquanto Carlo Perdersoli rebatizou-se de Bud Spencer. Ele escolheu Bud em homenagem a cerveja Budweiser, e Spencer por causa de Spencer Tracy, seu ator favorito.

 

 

Ao todo, fizeram dezoito filmes juntos, todos de muito sucesso, inclusive internacionalmente. Entre eles destacamos Chamam-me Trinity (Lo Chiamavamo Trinità..., 1970), Trinity Ainda é Meu Nome (Continuavano a chiamarlo Trinità, 1971) e Dois Missionários do Barulho (Porgi L'Altra Guancia, 1974).

 

 

Curiosamente, eles já haviam atuado em um filme antes, quando fizeram papéis em  Aníbal, O Conquistador(Annibale, 1959), uma produção italiana estrelada por Victor Mature. Mas neste filme, eles não contracenam juntos.

 

Bud Spencer e Terence Hill em Aníbal, o Conquistador

 

No Brasil, a dupla era extremamente popular, e chegaram a Eu, Você, Ele e os Outros (Non C'è due senza quattro, 1984), produzido pela Renato Aragão filmes, e com atores brasileiros no elenco, como Dary Reys, Fernando Amaral e Ataíde Arcoverde.

 

: Fernando Amaral, Bud Spencer, Terence Hill e Ataíde Arcoverde em Eu, Você, Ele e os Outros

 

Nesta época, chegou-se a anunciar que a dupla atuaria em outro filme brasileiro, ao lado do quarteto Os Trapalhões, de Renato Aragão, mas tal projeto nunca se concretizou. Porém, Spencer e Hill participaram do programa Os Trapalhões, e Bud respondeu as perguntas em português, idioma que aprenderá muitos anos antes, quando morou por aqui.

 

Bud Spencer e Terence Hill no programa Os Trapalhões

 

Em 1985 a dupla se desfez após atuarem em Os Dois Super-Tiras em Miami (Miami Supercops, 1985). Morando nos Estados Unidos, atuou em produções norte-americanas como Aladdin: O Super Gênio (Superfantagenio, 1986). Sozinho, criou dois personagem Jack Clementi e Jack "Extralarge" Costello, ambos repetindo o tipo rabugento, forte, e ingênuo, que o consagrara nas telas.

Em 1994 a dupla se reuniu, atuando novamente em A Volta de Trinity (Botte di Natale, 1994), último filme em que atuaram juntos.

De volta à Itália, atuou na série de TV A Sorte Caiu do Céu (Noi Siamo Angeli, 1997), que durou uma temporada de apenas 6 episódios. Ao lado do ator Phillip Michael Thomas, interpretava um fugitivo da cadeia, que fingia ser padre para fugir da polícia. Apesar de gravada na Itália, série contou com participações de atores como Erik Strada (de Chips) e Ty Hardin.

Em 2005 atuou em Padre Speranza (2005), ao lado do ator Salvatore Cascio, o Totó de Cinema Paradiso (Idem , 1988). Adulto, este seria o último filme de Salvatore, antes de abandonar às telas.

Os últimos trabalhos de Specer foram no filme alemão Matar é Meu Negócio, Querida (Mord ist Mein Geschäft, Liebling, 2009) e na série italiana I Delitti del Cuoco (2010), onde interpretava um cozinheiro.

 

 

Como na série, Bud Spencer adorava cozinhar, e chegou a publicar um livro de receitas. Ele também publicou sua autobiografia em 2011. Em 2005 tentou concorrer a uma vaga na câmara de deputados italiana, mas não foi eleito.

Em 2010 ele e Terence Hill receberam o Donatello, o maior prêmio do cinema italiano, em homenagem ao conjunto de suas carreiras. Foi o último reencontro da dupla.

 

: Bud Spencer faleceu em 27 de junho de 2016, aos 86 anos de idade.

 

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS