Sexta-feira, 18 de OUTUBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Coluna prof. Bruno

Ajude como puder  

por    Gustavo de Assis Guedes | Publicada em 28/06/2019 às 10h48| Atualizada em 01/07/2019 às 10h32

Meus leitores, na coluna de hoje  tive a honra de meu amigo, Gustavo, ser o escritor e nos motivar através de sua vida e relatos. Confira, agora, o texto:                                                         

Quando tive que escolher por qual caminho profissional seguir, ainda jovem e cheio de dúvidas, ingenuamente acreditava que meu diploma deveria ser usado para ajudar pessoas e prover o meu sustento. O gosto pela leitura e a crença de conseguir ganhar dinheiro buscando o que é certo e justo me levaram a cursar Direito. Depois de algumas (várias) desilusões, hoje formado e atuando como advogado, percebi que ajudar pode ser feito de diversas formas. Na verdade, deve ser feito de qualquer forma. Não no sentido relaxado, mas a todo custo. Devemos ajudar como pudermos.

A indicação de um amigo para participar de um projeto social em Viamão me fez perceber que eu podia ajudar sem ser com minha carteira da OAB, mas com minha outra paixão: o skate. O contato com dezenas de crianças inscritas no Skate na Comunidade me assustou no início. Confesso que nunca fui muito bom com a criançada, mais pelo fato de não ter vontade de agir de forma infantil perto delas – como muito adultos costumam fazer – do que por falta de interesse. Me senti mais confortável quando vi o idealizador do projeto, o Professor Bruno Oliveira, tratando os pequenos como adultos independentes e inteligentes, dando lições profundas sobre a vida, a ponto de eu descobrir o segredo para me dar bem com eles e fazê-los gostar de mim.

Quer saber como fazer uma criança gostar de você? Ensine algo para ela.

Mas não assuntos que nem você aguenta mais. Ou que “vai cair na prova”. Ensine algo que você acredita e conheça. Tudo bem alguns aprenderem mais rápido e outros terem menos interesse. Respeite o tempo de cada um. O conhecimento somente vai ser absorvido se atingir o aluno, se o ensinamento crescer de dentro. Uma das lições do Prof. Bruno relacionadas ao skate era sobre a capacidade de superar as adversidades que surgem na nossa vida. Alguém disse para ele que os skatistas são diferentes das outras pessoas porque colocam obstáculos na sua frente para pular por cima, deslizar e fazer todo tipo de manobra. Os olhos das crianças brilhavam quando, de forma muito inspiradora, Bruno disse que na vida devemos agir como quando andamos de skate, encarando os obstáculos ao invés de tentar tirá-los do caminho ou desistindo para tentar algo mais fácil.

A lição me fez lembrar de outra grande inspiração minha, o skatista profissional Rodney Mullen, quando ele disse em uma entrevista que a comunidade do skate tem como natural o hábito de cair e levantar. Para nós, o erro e a queda se tornaram comuns. Tanto quanto tentar de novo. Eu disse para as crianças que nunca vamos nos acostumar a torcer o tornozelo, que uma skatada na canela sempre é ruim e que um tombo pode assustar. Normal. Mas se queremos muito algo e estamos com medo, devemos respirar fundo e tentar mesmo assim.

Esse grau de resiliência na conquista dos objetivos é compartilhado com pessoas muito bem-sucedidas, conscientes de que para tudo que tentarmos na vida, no início, as maiores chances são de falharmos. Espero ter passado para elas a mensagem de que devem sonhar e buscar alcançar seus sonhos. Pode ser que não dê certo de primeira. Pode ser que precisem tentar muitas e muitas vezes. Podem cair e se machucar. Mas devem se levantar e tentar de novo. Devem persistir até alcançarem o que querem da vida.

Espero que elas tenham entendido que não existe “não consigo”, só existe “não consegui ainda”....

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS