Terça-feira, 22 de OUTUBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

coluna do prof. Bruno

Aprendizado do coração

por Bruno Oliveira | Publicada em 05/07/2019 às 11h27| Atualizada em 08/07/2019 às 13h02

Olá meus leitores;

Momentos difíceis todos nós passamos né? Afinal, a vida é cheia de dificuldades e tristezas. Eu passei recentemente uma muito grande, que me entristece até agora, mas com ela aprendi muitas coisas e quero falar para vocês. Eu nunca tinha conseguido entender muito bem qual era minha profissão, e como descobrir ela, se eu a amo mesmo. Você sabe o que você ama? O porquê escolheu esse cargo?

Eu, sempre fui professor voluntario, do projeto que fundei com alguns amigos. Mas na verdade, eu não era professor, eu não tinha a compreensão do que é ser um professor, eu apenas me joguei num meio sem saber o que estava fazendo. Fizemos muito isso né? Se jogar para algo que nem sabemos se queremos seguir, até começar muitas vezes sem nenhum entendimento. Esse era eu, a 2 anos atrás quando comecei a trabalhar com crianças, isso mesmo. Fico lembrando quando eu ainda estava na escola, falando que jamais queria ser professor, imaginando com ‘’aturar uma criança, jovens’’. A gente pensa muito assim, sempre achamos que não temos capacidade nenhuma, que na verdade não temos, pois ela vem do alto. Muito tempo depois, comecei esse trabalho tão indesejado por mim, e no início era desafiador, mas ao mesmo tempo uma alegria no coração que eu não sabia por quê.

O tempo foi passando, e eu fui entendendo o porquê eu estou ali. Meus leitores, nunca reclame do seu trabalho, nunca ache que ele não é para você. Se Deus te colocou nesse serviço, nesse cargo, nesse lugar, você é a pessoa certa para aquele lugar. Sabe por quê? Você tem uma missão ali, você tem que transformar aquele lugar com seu trabalho digno, para glorificar aquele que te colocou ali.

O tempo foi passando e eu entendendo isso, todo dia uma alegria para acordar e ir trabalhar, sabe o que é isso? Se você não sabe, procure entender o que você faz aqui nesta terra, minha alegria era logo de manha de receber todos os alunos na entrada, beijar e abraçar todos. Eu já não vivia sem isso, mas ainda não entendia muito bem, afinal tudo foi muito rápido e eu ainda um simples voluntário. As vezes não percebemos isso, mas Deus nos ajuda tanto que lá no nosso serviço, coloca pessoas para nós ajudar a crescer em profissão, pessoas de exemplos que iremos levar para a vida. Eu comecei a entender, que todas as coisas estão bem na nossa frente, Deus faz tudo por nós, mas a gente tem um mal tão grande de nos deixar cegos para isso. Aprendi a dar valor, valorizar, é como se a gente despertasse de um sono, e começasse a viver. Valorize seu trabalho, as pessoas que estão ao seu lado, isso é honrar quem lhe deu esse serviço.

Muito tempo passou, mas ainda eu não tinha entendido o quanto eu já amava esse serviço, mas sabia que eu amava muito minhas crianças, estar com eles era tudo para mim. Afinal, as crianças nos ensinam muito, elas conseguem nos ensinar muito sobre humildade, amor, e uma transparência incrível. O melhor disto, é quando a alegria de trabalhar com alegria, é que você consegue ir além, você consegue chegar até o fundo do coração, quando você entende que não basta ir para o trabalho e ganhar dinheiro, mas sim o seu trabalho ir além.... É isso, eu comecei a viver isso, olhava como pai de todas aquelas crianças, e como um pastor para proteger elas dos maus lobos. Eu construí uma família do Prof. Bruno, e isso me alegrava, pois o Senhor nos ensinou a amar as crianças, amar nosso serviço e ser luz. Até uma segunda feira, Deus permite que esse professor, saísse desta escola, deixando sua família de alunos... Neste dia, parecia que não existia chão, um coração exprimido vendo meus pequenos chorar pela ausência do prof, um desespero de todas as partes.... Eu não sabia mais o que fazer, somente clamava ao Senhor, pedindo socorro e amparo.

Meus amigos, todas as coisas acontecem porque Deus permite para nos julgar por um erro, ou para nos ensinar. Na minha maior tristeza, angústia eu pude perceber que eu amava tanto minha profissão, tanto as crianças e realmente como um pai, que não pode ficar longe de seus filhos... Isso me fez perceber que em meio a maior tristeza, Deus me mostrou realmente minha profissão, o quanto eu queria aquilo para sempre em minha vida. Meus, leitores a vida é dura, muitas vezes achamos que não há mais saída e tudo parece sem fim, então lembrei do Salmos 46: O Senhor é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. A situação na minha frente era de um cenário totalmente triste e destruído, nossa vida é assim as vezes não? Mas saiba que Deus nunca se esquece da gente, o mesmo amparo que ele me foi, será para meus pequenos. Aprendi que nada é para sempre, mas onde estivermos, precisamos deixar o para sempre dentro do coração de quem convivemos, e lembra-se; nunca é apenas ir trabalhar, nunca é ir e voltar para casa. Seu trabalho vai mudar muitas coisas, e que elas sejam boas.

‘Hoje eu sei que nasci para ser professor e que Deus me deu essa profissão, não por eu ser o melhor, mas por ele me capacitar para transformar vidas para seu nome’’

Salmos 23:1 O Senhor é meu Pastor.

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS