Segunda, 15 de OUTUBRO de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

opinião

O voto

Publicada em 31/08/2018 às 15h03| Atualizada em 04/09/2018 às 20h14

A estrela de uma eleição é o candidato, mas é a população que lhe outorga o poder através do voto. Teve tempos em que se escolhia o político pelo seu carisma e até mesmo, por sua beleza. Simpatia e dotes físicos eram predicados para a vitória nas urnas. Tudo mudou. Hoje é diferente. As mulheres se emanciparam e os homens tornaram-se mais sábios. Hoje, os candidatos precisam provar conhecimentos. Na era da informática é necessário ter bagagem cultural e, acima de tudo, ter a veia da política correndo em seu sangue.

Percorrendo as ruas da capital vejo grande número de pessoas denominadas influenciadores políticos. Eles dialogam com a população na busca pelo voto. Promovem seus candidatos entregando farto material de divulgação (santinhos). Eles são muitos. De todos os matizes. De todas correntes ideológicas. De toda idade. Percebo um afã neles. Percebo pressa. E as pessoas a caminho do trabalho estão na maioria das vezes, envolvidas com a sobrevivência. Às vezes, se aborrecem com essas interferências nas ruas da cidade.

Nesta eleição, há de se escolher o presidente da República, o governador, dois senadores e os deputados estaduais e federais. O eleitor não pode errar. Há de se votar no certo. Não no duvidoso. No verdadeiro político. E não num acumulador de votos visando o poder em prol de seu próprio benefício. Ele deve zelar pelos habitantes da cidade. Ajudar seus semelhantes a viver com dignidade.

O voto sem dúvida é a arma mais poderosa de um povo. Sem ele, não existe democracia. E o mínimo que se pode exigir no currículo dos candidatos é que estudem ciência política.Que ouçam o clamor das populações por melhorias. Que sejam honestos. Uma nova safra de políticos vem aí. Que eles não decepcionem. Que eles cultivem a fé e a fraternidade. Que suas bandeiras sejam calcadas na vida, nas pessoas e num meio-ambiente sádio.

Corra os olhos no currículo de seus candidatos para acertar a escolha. Não subestime a importância do voto. Não desperdice sua chance de mudar. Democracia é alternância no poder. O Brasil é rico, cheio de belezas plásticas. Não merece sossobrar nem falir como potência que é: agriculturável, como em nenhum outro lugar do mundo.Talhado para desenvolver o turismo, a indústria sem chaminés e com um povo alegre e ávido por mudanças.

E o Rio Grande do Sul, nosso Estado, é antes de tudo um celeiro produtivo. Analisemos com inteligência quem é merecedor do nosso voto nas próximas eleições. Aí teremos certeza que tudo valeu a pena. É necessário ser como a fênix da mitologia: renascer das cinzas. Só assim se adquirirá forças para continuar. Só assim contribuiremos para o progresso e a felicidade de nossas populações. O País e o nosso Estado clamam pelo voto certo.

Últimas Ana D Ávila

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS