Quinta-feira, 14 de DEZEMBRO de 2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

opinião

Os chalés da Santa Isabel - 1957

Publicada em 05/04/2017 às 15h06| Atualizada em 05/04/2017 às 18h15

A receita não era exclusividade dos isabelenses, mas caiu no gosto popular e correspondeu aos anseios da população que via realizado o sonho da casa própria. Quem chegava na Santa Isabel, comprava todo o material na Madeireira do José Grassi e recebia a planta da casa, que era feita em madeira de araucária e telhas de barro, do tipo “francesa”. Na foto, vemos a casa do “Tio Mário”, fundador do Granada (um dos times de várzea na época) e proprietário de um dos primeiros salões de baile da região, na Vila União. Esta casa não existe mais, mas ainda podemos ver alguns exemplares resistindo à modernidade na Grande Santa Isabel.

Texto: Eduardo Escobar

Últimas Paulo Lilja

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS