Domingo, 15 de SETEMBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

opinião

Kurt, o rico e bonito que abriu mão da vida, e o contraponto com a sobrevivente da guerra em Ruanda

A Maçã Envenenada

Publicada em 01/03/2018 às 09h34| Atualizada em 01/03/2018 às 17h23

Nesta semana, ao ler a coluna do Ruy Castro na Folha de São Paulo, na qual ele faz reflexões sobre o tempo e diz que fazer 70 anos é melhor do que não fazer, lembrei do livro do Michel Laub, A Maçã Envenenada que também aborda o tempo. Não sei dizer por que temos a sensação de que o tempo passa cada vez mais rápido. O fato é que a passagem do tempo segue inexorável, assim como nossas vidas que a cada dia se enchem de memórias, de passado.

Vou para o google atrás de um conceito filosófico de tempo. Aparecem conceitos superficiais e improváveis atribuídos a filósofos conhecidos como Kant, Santo Agostinho, Aristóteles e Platão. Garimpo textos sérios, acadêmicos e não entendo nada. Desisto da filosofia, e volto para o livro, A Maçã Envenenada, o qual trata do tempo e sua ligação com a vida.

No livro o questionamento do protagonista, talvez seja mais eficaz para desvendar os mistérios do tempo do que minha inútil pesquisa na internet. O personagem principal de A Maçã Envenenada narra a história tendo como ponto de partida a noção de tempo em direções contrárias: o tempo que sobra para quem sobrevive e o tempo que falta para quem desiste da vida. O tempo que sobra para quem escapa da morte e o tempo que resta para quem vai de encontro a morte.

A indagação irônica proposta pelo narrador surge a partir de um depoimento de uma sobrevivente da guerra civil em Ruanda, a qual junto com outras mulheres passa meses dentro de um banheiro num abrigo escondida da brutalidade da guerra civil que matou seus pais e seus irmãos. Esse fato é comparado com o suicídio do ídolo Kurt Cobain, ocorrido um dia antes do início da guerra civil em Ruanda, que entediado com o próprio sucesso, não suporta o peso da fama e suicida-se em 5 de abril de 1994.

Qual a noção de tempo para quem se agarra a um fio e para quem desiste da vida? O narrador do livro vai contar e rever sua vida a partir destes dois episódios: a história da sobrevivente de uma guerra fratricida que não se desgarra da vida, do tempo e de um mísero segundo e a trágica história do líder do Nirvana, rico e bonito que desiste de tudo.

 

 

 

Últimas 3º Neurônio

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS