Terça-feira, 11 de DEZEMBRO de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

3° Neurônio

Cautela com cartão de crédito é chave para um ano novo sem stress

Publicada em 03/12/2018 às 09h59

Com as festas de fim de ano se aproximando, o trabalhador brasileiro se depara com uma de suas maiores felicidades: o 13º salário. Com ele, chegam também muitos gastos que, às vezes, são inevitáveis: confraternizações com a galera do trabalho, amigos secretos, a ceia natalina, presentes para os familiares e viagens para curtir o réveillon. Todos nós queremos curtir a virada de ano, mimar nossos filhos com as maiores novidades do mercado e tomar aquela cervejinha na festa do colega, e o parcelamento destes custos no cartão de crédito pode parecer uma grande solução a curto prazo. Há, porém, a necessidade de tomar muito cuidado. É preciso lembrar que comemorações no final do ano são sempre sucedidas por ocasiões menos festivas, como o pagamento do IPVA, IPTU, matrícula escolar e muitos outros.

Não há nada pior do que já começar o ano endividado. E o cartão de crédito, logo ele que por tantas vezes é um forte aliado, pode se virar contra nós. Pequenas e suaves parcelas rapidamente se tornam uma grande, incontrolável dívida. Então, a palavra-chave é a cautela. Mantenha suas responsabilidades financeiras em mente. Se necessário, coloque-as na ponta do lápis. Lembre-se que duzentos reais gastos agora podem significar uma quantia que fará falta em 2019. Mais que isso: pense que uma dívida acumulada no início do ano tende apenas a crescer e criar proporções catastróficas ao longo dos 12 meses. Então, o foco do planejamento deve ser passar o ano zerado em termos de dívidas.

O que fazer, então, com o 13º salário? Primeiramente, pense em quitar quaisquer dívidas pendentes. Depois, se certifique que você consegue cumprir com os gastos já descritos aqui: IPVA, IPTU, etc. Tente, se possível, guardar algo extra, por menor que seja, para dias mais complicados de 2019. E, só então, comece a usufruir dele para viagens, presentes e comemorações. Evite, porém, parcelas muito longas. Será que vale a pena pagar o divertimento de dezembro até outubro do ano que vem?

Ter o pé no chão no fim de ano é, sim, complicado. Afinal, são muitas as oportunidades para satisfações pessoais. É importante, então, lembrar que a passagem do 31 de dezembro para o 1º do janeiro é apenas mais um dia. O sentimento de renovação é prazeroso, mas permanece dentro de você. Suas dívidas e responsabilidades financeiras não desaparecem junto com os fogos e nem te deixam de lado para pular ondinhas. Comemore o fim de 2018, suas conquistas e realizações, sim, mas lembrando sempre que 2019 trará outros 365 dias.       


*Dora Ramos é contadora, orientadora financeira e diretora responsável pela Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial

Últimas 3º Neurônio

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS