Domingo, 22 de OUTUBRO de 2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

opinião

Imitando crioulo, hein?

Publicada em 17/09/2017 às 18h19| Atualizada em 19/09/2017 às 11h34

"Dizem que a paixão pelo futebol decorre da necessidade de ter uma bandeira – mas como explicar que a pequena torcida do Atlético Cafundó, que nunca arrasará ninguém, continue torcendo pelo time?” (Luis Fernando Verissimo, escritor)

 

 

Menos de um ano após a sua fundação, dia 15 de setembro de 1903, o Grêmio inaugurou a 14 de agosto de 1904 o Estádio da Baixada (num terreno de 131 metros por 88), e hasteou a primeira bandeira do clube, num “jogo interno” entre o primeiro e o segundo quadros. A segunda veio 11 anos depois, em 15 de setembro de 1915, numa data especial: o 12º. aniversário tricolor.

O Inter só ganhou a sua primeira bandeira a 15 de abril de 1927, 18 anos após a fundação em 4 de abril de 1909, costurada por Alayde Jardim Fagundes, uma personagem importante da história do clube. Por exemplo: em 25 de setembro de 1940, quando o colorado oficializou a primeira torcida organizada do clube – e do Rio Grande do Sul –, o Departamento de Cooperação e Propaganda, DCP, criado por Vicente Rao e Pery Azambuja Soares e ligado diretamente à diretoria do clube, com charanga, veio junto o departamento feminino, chefiado exatamente por Alayde.

Mais: dia 30 de outubro de 1945 o Inter entregou diplomas de “doutor em futebol” aos jogadores – em homenagem à conquista do hexacampeonato de Porto Alegre, com a explicação de que seis anos é também o tempo para a formatura de um médico –, assinado por quem? Por Vicente Rao e pela presidente da “Legião de Torcedoras”, ela, Alayde Jardim Fagundes.

Nessa altura, o Grêmio já tinha apresentado a sua terceira bandeira, no jogo inaugural também do terceiro pavilhão da Baixada, em 8 de maio de 1944, quando igualmente passou a ser o primeiro clube do Brasil a colocar à venda cadeiras em estádios de futebol. Foi num Gre-Nal amistoso com presença do interventor federal no Rio Grade do Sul, tenente-coronel Ernesto Dornelles, e encaminhamento de mensagem dos dois clubes (declarando-se “escolas de civismo e de estímulo à mocidade praticante do esporte”, e afirmando confiança na “fé e bravura” da tropa na segunda Guerra Mundial) ao comando do III Exército, em apoio à Força Expedicionária do Brasil, FEB, na Itália. O Inter só não deixou a festa do Grêmio ser completa porque ganhou o clássico, e de goleada, 7 a 3.

Dia 3 de maio de 1963 o conselho deliberativo do Grêmio aprovou a quarta bandeira, mas não só isso; mudou também o próprio nome do clube, com  novo distintivo: de “G Foot Ball PA”  para “1903 Grêmio FBPA”. Na mesma data, foi inaugurado o salão nobre do Olímpico. Em 30 de maio de 1970 o Grêmio instituiu uma estrela dourada em sua bandeira, homenagem ao lateral Everaldo, titular da seleção brasileira tricampeã mundial na Copa de 1970. E a 14 de maio de 2010 o clube hasteou uma bandeira de 8m10 metros por 11m70 no local da futura Arena, em mastro de 42 metros, exatamente a altura do estádio.

Essa disputa de bandeiras tremulando e duelos de torcedores gremistas e colorados tem ainda outro capítulo. Quando o Inter em 1940 criou a sua torcida organizada, além de instituir a charanga e o departamento feminino começou a soltar foguetes nos jogos em Porto Alegre. Os gremistas diziam que aquilo era “coisa de crioulo”: mas o Grêmio aderiu, e ao fazer finalmente o seu primeiro foguetório, num Gre-Nal, o esperto e debochado Vicente Rao já estava sabendo da novidade e no primeiro estouro imediatamente abriu uma faixa que trazia enrolada, com uma pergunta provocadora – “Imitando crioulo, hein?”.

 

Agenda histórica do futebol gaúcho na semana

 

17.9, domingo

1916 – 2x1 contra seleção do Uruguai na Baixada, primeira vitória internacional do Grêmio

1967 – Gre-Nal do Ministro: Tarso Dutra, da Educação, anistia atacante Alcindo (que estava  suspenso), do Grêmio; Inter ganha por 1x0, gol de Claudiomiro, 17 anos

 

18.9, segunda-feira

1954 – Grêmio inaugura sala da presidência no Estádio Olímpico, com galeria de fotos de ex-presidentes 

 

19.9, terça-feira

1936 –  Primeiro jogo do Grêmio no exterior, vitória de 2x0 sobre o Oriental de Rivera, Uruguai; fundação do Nacional Atlético Clube, inicialmente com o nome de Ferroviário

1954 – Inauguração do Olímpico (maior estádio particular do Brasil na época, 38 mil lugares), Grêmio 2x0 Nacional do Uruguai, dois gols do reserva Vítor no segundo tempo

 

20.9, quarta-feira

1913 – Fundação do Guarany de Cruz Alta

1915 – Fundação do Atlântico, de Erechim (que teve o presidente gremista Fábio Koff como técnico)

1954 – Primeiro jogo do Inter no Olímpico, 4x0 Liverpool do Uruguai

1956 – Grêmio 0x0 seleção da Argentina

1970 – Fundação da Sociedade Esportiva Dínamo de Santa Rosa

2010 – Grêmio lança pedra fundamental da Arena

 

21.9, quinta-feira

1916 – Primeiro jogo internacional do Inter, derrota de 4x0 contra a seleção do Uruguai, na Chácara dos Eucaliptos

1995 – Grêmio 2x2 Flamengo – em Florianópolis

 

22.9, sexta-feira

1935 – “Gre-Nal Farroupilha”: centenário da Guerra dos Farrapos, Inter precisa só de empate para ser campeão de Porto Alegre, Grêmio ganha no final (2x0, gols de Foguinho e Laci) e institui jantar a ser realizado durante um século; foi também o último jogo do goleiro Eurico Lara 

1948 – Prefeito de Porto Alegre, Ildo Meneghetti, desapropria “área de malocas junto ao Morro Teresópolis” para construção de estádio municipal: a obra não será construída, e o local é usado pelo Grêmio para fazer o Olímpico

1971 – Inter tri gaúcho, 2x0 contra o Esportivo em Bento Gonçalves

 

23.9, sábado

1925 – Inter informa que comprou quatro camas a 70 mil réis e quatro colchões a 15 mil cada para concentração

1958 – Grêmio 4x0 Santos (de Zito, Pepe, Jair, Pelé...)

1996 – Figueroa é técnico do Inter, interino

2007 – Ex-presidente do Corinthians, Alberto Dualib, é gravado dizendo que ganhou brasileirão de 2005 “roubado”, e que campeão mesmo foi o Inter

 

 

Últimas Cláudio Dienstmann

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS