Sabado, 16 de DEZEMBRO de 2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

grêmio tri

Hazza Bin Zayed Stadium, onde o Grêmio joga, dia 12, contra o vencedor da partida entre Pachuca do México e o campeão africano o campeão africano Wydad Casablanca Marrocos

O tamanho da conquista do Grêmio

Publicada em 01/12/2017 às 14h53| Atualizada em 04/12/2017 às 09h33

O Renato não precisava parabenizar o Inter pela volta à primeira divisão, mas provocação é parte da natureza dele, e pronto. Grêmio tri da Libertadores, e o técnico vai se  lembrar do colorado pra que?

Claro que está chovendo resposta, inclusive com insinuações de que o Grêmio só jogou contra ninguém. Mas o que fica na história é taça no armário, faixa no peito e bicho no bolso, e pronto de novo.

Em vez de botar pimenta, o Renatão poderia até ter falado dele próprio ser o primeiro brasileiro campeão da Libertadores como jogador e técnico, com 34 anos de diferença. Seria hora também de destacar mais o fato do Grêmio ter igualado o tri dos até então dois maiores clubes do Brasil ganhadores da Libertadores, o Santos de 1962, 1963 e 2011, e o São Paulo de 1992, 1993 e 2005.

Mas existe um outro aspecto que demonstra o tamanho da conquista do Grêmio, e refere a rivalidade Brasil e Argentina no futebol. Na Libertadores, até quarta-feira, estava assim: em 13 decisões contra argentinos, nove deles e apenas quatro brasileiras.

O detalhe é que dessas quatro duas foram com o último jogo no Brasil, caso de São Paulo x Newell’s Old Boys em 1992, e Corinthians x Boca Juniors em 2012, O Cruzeiro em 1976 só ganhou do River Plate com jogo-extra em Santiago do Chile, e apenas uma vez o Brasil havia sido campeão dentro da própria Argentina: com o Santos em 1963 contra o Boca, e ninguém menos do que Pelé brilhando na Bombonera.

Lá, quatro anos antes, em 1959, o Boca tinha levado quatro gols de Gessy numa derrota de 4x1 com o Grêmio – que, 54 anos depois do Santos de Pelé, é  o segundo clube brasileiro que volta da Argentina campeão da Libertadores.

Calcula aí mais isso no tamanho da conquista tricolor!

 

 

 

Últimas Cláudio Dienstmann

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS