Sabado, 16 de DEZEMBRO de 2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

opinião

Gatos vivem no Hermitage desde o século 18

Os gatos do museu

Publicada em 15/11/2017 às 16h28| Atualizada em 21/11/2017 às 12h43

Ainda não fui ao Hermitage, que fica logo ali, ao lado do rio Neva. Escrevo este ainda porque tenho um objetivo muito especial que é conhecer a Rússia. O museu de números grandiosos – mais de duzentos mil metros quadrados, milhões de objetos de arte, arqueologia, numismática, armas e itens variados – terá minha visita por vários dias quando lá chegar. É preciso tempo para apreciar suas coleções. Por enquanto, faço visitas virtuais pelas galerias.

Não sei em qual ano, mas minha visita será em março, quando acontece o dia de homenagens aos gatos do Hermitage. Meia centena de felinos são abrigados no museu. Contam que os primeiros guardiães bigodudos foram levados para o Palácio de Inverno de São Petersburgo (que viria a ser o Hermitage) pelo czar Pedro, o Grande. Mais tarde, quando Catarina, a Grande, tomou posse, em 12 de setembro de 1762 emitiu decreto determinando que levassem ao palácio os maiores gatos para caçar os ratos.

A tarefa inicial não é mais necessária. As tecnologias existentes e os cuidados com a higiene dão conta do recado. Hoje, fazem parte da tradição. Selos, cartões-postais e outros produtos com a imagem desses bichanos são vendidos na loja do museu e o dinheiro é revertido para os cuidados com eles.

Por aqui, creio que não temos nenhum museu contando com esses “funcionários”. Há particularidades que são próprias de um único lugar. Se tivéssemos, talvez fosse em situação de abandono, quem sabe? Ou atingidos pela controvertida reforma da legislação trabalhista brasileira, quem sabe?

O que precisamos ter como exemplo é a conscientização para a importância dos cuidados com os animais. A lei brasileira criminaliza maus tratos, mas o que mais vemos é isso acontecer. Gatos e cães não são coisas. Não são descartáveis. São seres vivos e têm sentimentos. Exigem e merecem cuidados. Se não estiver disponível para dar e receber amor dos bichanos, ajude aqueles que foram abandonados ou aqueles que estão sob os cuidados de protetores incríveis espalhados pela cidade.

Que o Hermitage sirva de inspiração para outras instituições!

 

No vídeo de 2:48, os gatos no museu

 

 

 

 

Últimas Marta Busnello

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS