Quarta-feira, 20 de FEVEREIRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

universo pop

Os livros e o novo milênio

Publicada em 18/01/2019 às 14h22| Atualizada em 20/01/2019 às 21h09

Como a semana foi meio parada no mundo pop, decidi falar um pouco da minha experiência com clube de assinatura de livros e com livros digitais. Afinal, são tempos de crise pro mercado literário. As livrarias Saraiva e a Cultura entraram com pedido de recuperação judicial no último ano, e ninguém sabe dizer o que o futuro reserva para elas.

Isso é algo para se preocupar - afinal, é literatura, é cultura. Por isso, os livros estão tentando encontrar formas de se reinventar e continuarem relevantes. Uma forma que eles encontraram foi através dos clubes de assinatura. Como assim? Continua lendo que eu explico.


Comprar um livro sem saber o título

É basicamente essa frase aí em cima. Estes clubes de assinatura - ou apenas clubes do livro - enviam mensalmente caixinhas com livros e alguns brindes para a sua casa. O grande diferencial delas é que a gente nunca sabe qual livro vai receber. Enquanto alguns clubes escolhem livros já publicados por outras editoras, algumas decidiram inovar e enviam apenas livros nunca publicados no Brasil.
 

Por muito tempo permaneci na dúvida será que devo assinar? E se eu não gostar do livro? Conversei com amigos sobre suas experiências e acabei decidindo testar. Afinal, a certeza que iremos gostar de um livro não existe. Se eu compro livros que sei quais são e não gosto, porque não aproveitar um livro que possa me surpreender positivamente?

Por enquanto, já li 3 livros e o quarto já está me aguardando - mas vai ter que esperar um pouquinho, pois ainda tenho outros livros na frente. Não posso dizer que amei todos, mas posso dizer que foi bem proveitoso. O último livro que eu li (Todas as cores do céu, de Amita Trasi), posso dizer que foi o mais impactante e o meu favorito até agora. Os outros dois, acabei gostando. Até agora, nada de não gostar dos livros. Fiquei feliz com isso.

 

Como são os clubes? Quais as diferenças?

Hoje, se você jogar na internet, é possível achar diversos clubes de assinatura de livros. Tem para as crianças, para os cristãos, tem pra quem gosta de ganhar brinde junto, tem pra quem gosta de romance... O negócio é achar um que se encaixe com o seu perfil.

A principal diferença entre os clubes é o que eu comentei ali em cima: alguns lançam livros inéditos; outros, livros existentes. Fica ao seu critério olhar os clubes e descobrir sobre os livros já enviados. 
 

O que eu acabei optando foi pelo TAG - Experiências Literárias na modalidade Inéditos. Por quê? Por se encaixar no meu perfil. Estes inéditos foram todos best sellers no exterior. Junto dos livros, vêm marcador de página, infográfico e poster do livro. Bem simples, minimalista e com um estilo de livro que eu provavelmente compraria.

A outra modalidade deles se chama Curadoria e, assim como no Inéditos, têm edições e capas exclusivas. O kit, entretanto, é mais completo: o livro é capa dura, tem revista sobre o autor e a obra e um mimo literário. O Clube Intrínsecos segue essa mesma linha - na questão de brindes e capa dura -, mas as capas não tem imagens: cada livro é de uma cor.

 

Tá, mas qual teu veredito?

Com toda a certeza vale a pena assinar. A gente já assina Netflix e Spotify, não é mesmo? Então não tem motivos para não assinar um clube de livros. Quando comecei a coluna, pretendia falar mais sobre literatura aqui - e, ao fazer a retrospectiva no último ano, vi que falhei nisso. Livros sempre fizeram e sempre vão fazer parte da minha vida. E, se não fazem parte da sua, essa pode ser a hora de começar. Ou pelas livrarias, ou pelo clube do livro.

Não importa se é livro de autoajuda, de youtuber: toda forma de literatura é válida. Vejo muita gente que não gosta de ler por ter sido obrigado a ler livros "chatos" durante o colégio. Um segredo: às vezes, você só não encontrou um estilo literário que te prenda a atenção. Se você parar para pensar,  provavelmente aconteceu isso com você nas músicas, séries e filmes.

 

A tecnologia chega para todos: os eBooks

Os livros digitais são algo que muita gente tem preconceito e - não vou negar - até eu tinha. Às vezes, há quem seja contra os livros, até achar eles piratas na internet. Ou seja, de um jeito ou de outro, muita gente acaba lendo livros digitais. 



Para começo de conversa, eBooks são maravilhosos. Você pode ler em qualquer lugar. Celular, computador, tablet ou no leitor digital, todos são possíveis. Além disso, eles ocupam pouco espaço e não ficam parados no fundo de um armário até você decidir vender ou doar. Experimente conhecer um leitor de livros - a experiência fica bem mais semelhante a um livro de papel do que com uma tela de celular. 

Se você pensa que eBooks são caros, pode ir mudando esse pensamento. Assim como muitos jornais e revistas exigem o pagamento para ler notícias nos sites, os livros digitais também são cobrados. O motivo? Tem muita gente envolvida para aquilo acontecer. Enquanto nos jornais temos as redações com os jornalistas, nos eBooks nós temos as editoras, os autores, os diagramadores. No fim, a única coisa que não tem é o papel - o que, se formos ver o custo, acaba sendo bem baixo.

Por isso eu digo: eBooks valem a pena. Principalmente por causa das promoções - eu mesmo já paguei 3 ou 6 reais em livros digitais.

 

Conclusão? A gente vê por aqui

Estava terminando de escrever a coluna e talvez tenha chegado numa conclusão. Eu mesmo estou aqui falando sobre os eBooks e incentivando eles - e, parando para pensar, isso com certeza afeta as livrarias. Hoje, com a internet, muita gente compra online. Tem quem nem pise mais nas livrarias e tem quem aproveite os valores mais em conta dos sites. 

Os clubes do livro acabam sem ajudar as livrarias diretamente, e sim as editoras. Receber um livro por mês em casa pode ser um grande incentivo para procurar novos livros.

Vamos combinar uma coisa? Vá numa livraria ou num sebo e compre um livro. Ou vá numa biblioteca. Qualquer livro. Se não sabe o que ler, pede indicação pros funcionários. Será que todo mundo consegue ler um livro até o próximo mês? Tem como ler e tem como gostar de ler. Só falta a atitude - e essa depende de você.


Lista dos clubes

Como prometi ali em cima, segue lista e breve descrição dos clubes de livro.

TAG Curadoria: Livros indicados por grandes nomes da literatura nacional internacional. Capa dura, com mimo literário. 

TAG Inéditos: Livros que estão bombando no exterior chegando com exclusividade e capas lindas na sua casa. Brochura, com marca página.

Intrínsecos: Criado pela editora intrínseca, te manda com exclusividade os livros que vão ser destaque futuramente. Capa dura, com cores lindas e brinde literário.

Clube Skoob: Caixas temáticas com livros pra te surpeender. Tem vários brindes (alguns são exclusivos!).

Turista literário: Uma viagem pelo universo literário. Vêm brindes com experiências extrasensoriais.

Clube Leitura: Tem pra você, seus filhos e sua família. Tem até edição especial que vem com gibi da Mônica. Livro e mimo especial. 

Para quem tem pequeninos (alô leitores da coluna Oi, Filho):

Quindim: De 0 a 12 anos, dá pra montar uma biblioteca infantil em casa. Vêm com mapa de leitura.

Leiturinha: Com um ou dois livros mensais, vêm com brindes bacanas para a criançada e dicas pedagógicas para auxiliar no desenvolvimento do seu filho.

A Taba: Livros lindos e pensados para todas idades, desde bebês até os mais jovenzinhos. Livro, mapa e mimo literário.

Últimas Leonardo Stürmer

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS