Sexta-feira, 06 de DEZEMBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

universo pop

O que importa mais: a natureza ou o dinheiro?

Publicada em 02/08/2019 às 10h48| Atualizada em 05/08/2019 às 14h59

Hoje a coluna vai ser aquelas especiais, diferentes, começando com assunto mais sério. Lembram que ano passado falei sobre termos esgotado os recursos naturais da Terra em tempo recorde? Pois é, conseguimos bater o nosso próprio recorde: esgotamos no dia 29 de julho esse ano.

Em resumo, esse limite é uma data que marca quando utilizamos os recursos naturais renováveis para o próximo ano. Ou seja, quanto antes atingirmos ele, mais o planeta - e nós(!) - iremos sofrer as consequências.

  

Quando falei disso ano passado, comentei que está na hora de mudar. Passou um ano e nada mudou. E essa mudança não parte só de nós, tem que partir também de grandes empresas e dos políticos. Em tempos de agrotóxicos sendo liberadosmilhões de abelhas aparecendo mortasdesmatamento na Amazônia, entre muitas outas coisas, fica difícil de pensar em fazer alguma coisa.

Vejo muita gente que defende desmatamento, agrotóxico e todas essas coisas, mas, para mim, é inadmissível. É da natureza que estamos falando, é algo essencial para a vida (e não só a humana). Temos que cobrar dos políticos, eles que tomam essas grandes decisões pela gente. E eles precisam nos ouvir.

Dentro disso, entra também a questão da mina de carvão que querem construir em Guaíba (Mina Guaíba). Em pleno 2019, com tantas opções sustentáveis de energia renovável - eólica, solar -, querem fazer uma mina de carvão que pode afetar todo um ecossistema, o ar de Porto Alegre e região metropolitana, produtores rurais. Que pode afetar a vida de todo mundo e, principalmente, nossa saúde.

 

Já pensou em respirar ar com carvão? Podendo causar doenças pulmonares e tudo mais? Pois é, eu não quero isso e acho que ninguém quer. E isso tudo é para lucrar. Fica a questão: vale a pena lucrar em cima de algo que pode afetar a vida de todo mundo? A resposta é não.

Pra quem quiser saber mais, saber o que fazer, podem conhecer o Contaminando POA clicando aqui. No site, eles explicam melhor toda essa situação e o que podemos fazer. Uma dica que eu já dou é pressionar o governo nas redes sociais. Quanto mais gente falando, mais será notado e, assim, eles serão obrigados a tomar uma atitude.

Espero que tudo isso que eu escrevi sirva para alguma coisa. Que sirva para conscientizar, para que a gente faça mudanças, para que a gente tenha atitudes. E, principalmente, que ajude, de alguma forma, a salvar a nossa vida, todas as vidas, e a natureza.

Obrigado a você que leu até aqui.

Últimas Leonardo Stürmer

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS