Domingo, 21 de JANEIRO de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

coluna da Tainá

Apenas para os fortes

Publicada em 08/01/2018 às 14h41| Atualizada em 10/01/2018 às 09h32

Assistindo a uma cena de novela global, me deparei com o seguinte diálogo:

Personagem 1:“Tô muito cansado hoje, brother. Não é fácil trabalhar e estudar ao mesmo tempo”.

Personagem 2: “Cê é loco, irmão. Essa coisa de estudar é pra gente rica, pobre tem que trabalhar mesmo”.

Você achou esse diálogo familiar? Pois, eu sim e me coloco no lugar da personagem 1. Foram cinco anos exaustos, de muito sono perdido, de noites sem dormir, de sonecas na frente do computador, de enxaquecas, de dores, de choros de raiva, de vontade de largar tudo e sair correndo. Foram cinco anos de muito trabalhos e estudos. Para ser mais especifico: dois empregos fixos e aulas todas as noites.

Haja disposição, meus queridos! Levantar todas as manhãs antes das 7h, entrar em ônibus lotados, enfrentar filas para comprar um pão de queijo sem graça, engordar por ansiedade, perder peso por ansiedade... isso tudo é só para os fortes. Imaginem morar quilômetros de distância do conforto dos nossos lares? Mais um ponto que só os fortes conseguem. Muitos jovens se aventuram para conquistar um diploma, atravessam seus próprios medos e lutam por um lugar no mercado de trabalho.

Segundo dados do Ministério da Educação (MEC), 1,1 milhão de estudantes conquistaram o diploma de ensino superior no ano de 2016. Muita gente que dormiu pouco, que comeu mal e vibrou muito quando o professor anunciou a aprovação no último dia de aula. Acreditem, a palavra APROVADO quando sai da boca do professor orientador são como sinos que anunciam mais que uma vitória, é como se um novo portal se abrisse na nossa frente e depois daquele momento tudo vira festa. E que festa, meus queridos!

Os sorrisos ficam mais alegres, os abraços mais apertados, a comida tem um gosto diferente e temos tempo pra tudo! Mas não esqueçam: isso tudo é só para os fortes.

Este mês teremos várias formaturas por aí, várias pessoas festejando, alegres com essas conquistas. Vocês irão encontrar famílias se abraçando, mães chorando de alegrias e amigos rindo à toa. Eu já passei por isso e sei o quanto é bom ser parabenizada. Mas hoje eu quero dar os parabéns aos nove novos jornalistas que esse mundão vai ganhar!

Nathália, Gabriela, Vinicius, Joaquim, Sérgio, Johnny, Luciano, Stéphany e Kalleb, vocês foram muito fortes! São nove guerreiros que enfrentaram aulas chatas nas noites de sexta-feira, perderam a paciência, ganharam peso, perderam cabelos, roeram todas as unhas de nervosismos, sofreram de ansiedade, viram seus filhos nascerem e construíram novos caminhos para as suas vidas. Desejo que vocês continuem fortes! E que não desistam, pois a vida os espera com mais desafios e muitas aventuras.

Ah, e sobre o diálogo que abriu o texto de hoje, pobre ou rico: estude, trabalhe, viva! Faça o que você quiser da sua vida, mas não deixe de viver só porque os outros não aprovam as suas escolhas. No final sempre há uma boa recompensa!

 

 

 

Últimas Tainá Rios

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS