Sabado, 15 de DEZEMBRO de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Oi, filho

O dia que o Benício subiu na mesa

Publicada em 18/07/2018 às 15h38| Atualizada em 20/07/2018 às 10h55

Era um dia normal. Benício brincava jogava seus brinquedos de um lado pro outro da sala enquanto eu assistia série e dobrava roupa ao mesmo tempo enquanto esperava a Andressa para jantar. Um olho no Beni, outro na TV, os dois na roupa. Olho no Beni, Tv, roupa... Tv, roupa, OPA, CADÊ O BENÍCIO????

Olho para a mesa e vejo aquela cabeça branca coberto por cabelo dourado apoiando os pés na cadeira. Penso rapidamente: QUE AUDÁCIA, ACHANDO QUE VAI CONSEGUIR SUBIR NA CADEIRA. Levanto e pego o meu celular para tirar uma foto da tentativa de suicídio infantil, quando viro para a cadeira O BENÍCIO ESTÁ EM CIMA DA MESA! Ou como diriam na minha turma de inglês do ensino médio, THE BENÍCIO IS ON THE TABLE tal qual o BOOK.

Não consigo crer que um ser de pouco mais de um ano de vida possa ser tão inteligente e perspicaz a ponto de escalar uma cadeira, subir na mesa e ainda fazer cara de ANJO quando eu me aproximei com a câmera. O pai vai lá, fecha todas as portas dos cômodos da casa, espalha brinquedos pelo chão, esconde as tampinhas de garrafa e outras porcarias para ele não botar na boca, esconde os fios de carregador porque DEUS Û LIVRE botar na boca igual aquelas crianças das correntes de whatsapp e levar um choque. Cuida as quinas, esconde as fraldas cagadas para ele não comer e pensa: Ahhhh, agora ta tudo bem, ele não tem nada para fazer.

ELE SOBE NA MESA.

Com 5 vai estar fazendo o quê? Caminhando no telhado? Roubando bancos?????????

Eu deveria ter desconfiado que não seria fácil quando, aos pouquíssimos meses de idade, coloquei ele sentado nos pés no sofá, enquanto deitado assistia ao jornal. Vó passa por nós e pergunta se eu dei chocolate para ele. COMO ASSIM CHOCOLATE VÓ, CLARO QUE NÃO.

Olho para o menino e vejo um cidadãozinho coberto por uma coisa que meu cérebro, inocente, pensou ser chocolate ou feijão. Mas de onde tiraria feijão meu deus? NÃO ERA FEIJÃO, ERA MERDA. Ele cagou tanto que transbordou a fralda e ele se lambuzou de merda, a cabeça, as roupas, o sofá, minha calça, tudo cagado. A cena seguinte foi a mãe chorando, dando banho no filho cagão. Era o anúncio, esse menino é IMPOSSÍVEL.

Abaixo, porém, deixo uma foto fofa do passeio no parque que fizemos no final de semana passado, só para vocês não pensarem que meu filho é arteiro todo o tempo. As vezes, ele até que é a coisa mais fofa desse mundo.

 

Últimas Vinicius Ferrari

Paginas: [1] 2 Próxima »

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS