Segunda, 17 de JUNHO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

DV TECH

Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

A tensa situação da Huawei no mercado mundial

Publicada em 24/05/2019 às 16h35| Atualizada em 27/05/2019 às 14h27

No início da semana, o mercado de tecnologia foi pego de surpresa com a guerra entre Huawei (China) e os Estados Unidos. Após o governo americano declarar emergência e proibir empresas americanas de terem negócios com a gigante chinesa Huawei, o Google anunciou que não iria mais distribuir o sistema operacional Android para os dispositivos da marca. Cabe lembrar que a Huawei é a segunda maior fabricante de celulares no mundo e vem lançando aparelhos com bons destaques, como a câmera do P30 Pro, considerada a melhor do mercado. Com a guerra comercial entre os dois países, a empresa vem sofrendo muitos desfalques na ultima semana. 

 

O Google, dono do Android, afirmou que os aparelhos atuais ainda poderão usufruir os serviços como Play Store e Gmail, mas isso impediria que novos modelos da marca chinesa contem com a loja de aplicativos do Google. Para piorar, no decorrer desta semana a fabricante se deparou com a notícia de que ela poderá perder negócios com a fabricante britânica ARM, responsável pelos processadores móveis utilizados. Além disso, a empresa não faz mais parte da entidade que autoriza o uso de cartões de memória SD. Muito se tem especulado sobre os rumos futuros da empresa. 

 

Sabe-se que há tempos ela tem desenvolvido um sistema operacional independente, que não depende do Google. Fontes porém afirmam que o sistema não deve chegar tão cedo. Além disso, fica a incógnita quanto aos aplicativos. Como a empresa perdeu parceria com o Google, ela não poderá mais embarcar a loja Play Store nos próximos dispositivos. Com isso, ela teria que convencer empresas a desenvolverem aplicações para a plataforma própria da Huawei. Isso se complica porque empresas como Facebook, Snapchat, Twitter e demais são empresas americanas, então elas estariam proibidas de fazer negócios com a chinesa. Apesar de tantas derrotas, o governo americano decidiu dar 90 dias para que a empresa atualize celulares e redes nos EUA antes das sanções de Donald Trump. 

 

E o Brasil?

 

A lua de mel da Huawei com o mercado brasileiro parece ter durado pouco. A guerra comercial se agravou justamente dois dias após o início das vendas do P30 Lite e P30 Pro no país. Dias após o anúncio do Google, a empresa se manifestou em seu facebook com o seguinte comunicado:

“A Huawei tem feito contribuições substanciais para o desenvolvimento e crescimento do Android em todo mundo. Como um dos principais parceiros globais do Android, trabalhamos de perto com a plataforma de código aberto para desenvolver um ecossistema que tem beneficiado tanto usuários quanto o setor. A Hauwei continuará a fornecer atualizações de segurança e serviços de pós-vendas para todos os produtos Huawei existentes no portfólio. 

Continuaremos empenhados em construir um ecossistema de software seguro e sustentável, a fim de fornecer a melhor experiência para todos os nossos usuários globalmente.” 

 

Aguardemos os próximos capítulos dessa verdadeira novela…

Últimas DV TECH por Pedro Nunes

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS