Domingo, 22 de ABRIL de 2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Segurança Pública

Secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, divulgou indicadores do crime referentes aos dois primeiros meses deste ano no Rio Grande do Sul

​Criminalidade: os números de Viamão, Gravataí e Cachoeirinha

por Silvestre Silva Santos | Publicada em 16/03/2018 às 15h59| Atualizada em 26/03/2018 às 09h51

Muito se fala sobre o aumento da criminalidade e da sensação de insegurança que toma conta das ruas não só de Viamão, mas de toda a região metropolitana. A intervenção federal no Rio de Janeiro trouxe a tona a necessidade, ou não, de se aplicar algo semelhante no resto do país. Mas e como andam os números oficiais da segurança pública gaúcha?

O levantamento feito pela reportagem do Diário de Viamão no site da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, depois que o titular da pasta, Cezar Schirmer, divulgou no começo da semana passada os indicadores da criminalidade no estado, aponta para uma queda de 63,9% nos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte) e de 34,5% dos casos de homicídio (crimes contra a vida).

Os crimes pesquisados desde 2010 pelo Diário são os que causam maior impacto na sociedade e têm maior repercussão pública:

 : Homicídio doloso – aquele em que há intenção de matar e que, quase na totalidade, tem ligação direta com o tráfico de drogas.

: Furto – Sem empregar a violência, mas que pelo grande número também provocam revolta entre a população.

: Furto de veículos – Crime praticado sem uso da violência e geralmente com três finalidades: uso em assaltos (veículos com maior potência) para empreender fuga; para ser vendido em desmanches onde os receptadores os transformam em peças para venda; e para servir como moeda de troca, entre bandidos, geralmente por drogas ou pagamento de dívidas do crime.

: Latrocínio – Crime em que acontece a morte de pelo menos uma pessoa durante assalto.

: Roubo de veículos – Crime praticado a mão armada e em boa parte dos casos com uso da violência, com a mesma finalidade descrita antes, no caso dos furtos de veículos.

: Estelionato – Crime que lesa as vítimas por perdas financeiras.

: Tráfico – Contabilizados no levantamento apenas as prisões feitas em flagrante com a apreensão de quantidade de drogas que tipificam o crime de tráfico.

As principais ocorrências em Viamão

Enquanto a média da soma dos principais crimes, de 2010 até dezembro passado, em Viamão, atingiu 556,11 ocorrências, nos dois primeiros meses deste ano ficou em 671,14 registros, um salto de 20,74% no número de crimes. Pelo levantamento, o ano mais violento no município desde 2010 continua sendo 2016, com 8.089 destas principais ocorrências, registradas.

 

 

 

Como estão as vizinhas depois do caos

A coleta de dados incluiu também Cachoeirinha e Gravataí, ambas com cobertura jornalística do Seguinte: site parceiro do Diário de Viamão. Neste mesmo período, na vizinha Cachoeirinha a criminalidade aponta uma queda de -9,51% e -20,38% em Gravataí.

O caos na segurança pública, em Gravataí, que desde o começo do ano passado e até outubro chegou a ter presos mantidos em viaturas na frente da sede das delegacias do Parque dos Anjos tamanha era o número de prisões feitas na cidade e a falta de vagas no sistema penitenciário, aliado à guerra no tráfico que forçou o prefeito Marco Alba (PMDB) a pedir socorro ao governo do estado e apelar, inclusive, para o deslocamento de tropas da Força de Segurança Nacional para a cidade, parece que arrefeceu nos dois primeiros meses deste ano.

Em Gravataí, que ganhou o reforço de contingente da Brigada Militar no final de outubro do ano passado e no efetivo da Polícia Civil para investigações e elaboração de inquéritos, depois que um atentado ocorrido na Morada do Vale deixou duas pessoas mortas e outras 33 feridas, e depois que uma reportagem de setembro apontou que Gravataí batia recordes de homicídios no ano, houve queda expressiva no total das principais ocorrências, segundo o levantamento.

 

Confira os quadros:

 

 

As principais ocorrências em Cachoeirinha

 

As principais ocorrências em Gravataí

 

Médias de ano a ano nas três cidades

 

 

A tabela divulgada pelo secretário Schirmer:

 

 

Principais indicadores

 

Os índices apresentados pelo secretário Schirmer para janeiro e fevereiro deste ano e a comparação com os três municípios de abrangência do Seguinte: e Diário de Viamão, em relação ao ano que passou, em percentuais:

Homicídio doloso-34,5 RGS | -45.84 Gravataí |  -39.93 Cachoeirinha | -32,04  Viamão

Furto-16,0 RGS | -29,43 Gravataí | -24,53 Cachoeirinha | -15,98 Viamão

Furto de veículos-16,2 RGS | 00,00 Gravataí | +7,95 Cachoeirinha | -10,74 Viamão

Roubo-22,5 RGS | -29,30 Gravataí | -10,31 Cachoeirinha | -4,27 Viamão

Roubo de veículos-11,9 RGS | -35,51 Gravataí | -28,98 Cachoeirinha | +14,55 Viamão

Estelionato-10,17 RGS | +9,10 Gravataí | -32,27 Cachoeirinha | +45,26Viamão

Tráfico-4,61 RGS | -6,93 Gravataí | -6,97 Cachoeirinha | -12,87 Viamão

 

O QUE ELE DISSE

--- Os números absolutos ainda são altos, mas o que vemos é a manutenção de uma curva descendente que comprova a efetividade dos investimentos feitos no reaparelhamento das instituições e no ingresso de novos servidores.

Cezar Schirmer
Secretário Estadual da Segurança Pública

 

 

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS