Quinta-feira, 21 de NOVEMBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

páscoa

Supermercados projetam crescimento de 5,2% nas vendas de páscoa

por Vinicius Ferrari | com assessorias | Publicada em 03/04/2019 às 15h46| Atualizada em 04/04/2019 às 22h39

O mar não está para peixe (com o perdão do trocadilho pascoalino), mas as vendas de páscoa não devem ser afetadas pela economia. O Diário foi até uma loja especializada em chocolate para saber como estão os preparativos para a melhor data do ano para quem vende o doce.

 

 

 

Se as lojas estão animadas com a Páscoa, os supermercados não tem do que reclamar.  Segundo a Associação Gaúcha de Supermercados (AGAS), as  4,6 mil lojas do setor supermercadista gaúcho já montaram suas parreiras de chocolate para a Páscoa, tradicionalmente um dos melhores períodos de vendas para o segmento no Estado. Ao todo, 8,5 milhões de ovos de chocolate deverão ser comercializados pelos supermercados gaúchos, alavancando um faturamento de R$ 84,5 milhões para o setor.

A entidade encomendou um levantamento ao Instituto Segmento Pesquisas, realizado entre os dias 25 de fevereiro e 8 de março para entender como o consumidor deve se comportar nas compras pascolinas.  Pelo lado dos supermercadistas, foram ouvidos 20 diretores de empresas do setor em todo o Estado. Segundo o levantamento, a expectativa de crescimento nominal de vendas pelos empresários do setor é de 5,2% em relação à Páscoa do ano passado, e os preços estarão em média 2,7% superiores ao ano passado.

Para o presidente da Agas, Antônio Cesa Longo, a comemoração da Páscoa em abril, quando as temperaturas estão mais baixas do que em março, favorecerá o consumo de chocolates em 2019.

- O cenário de maior estabilidade econômica e de possibilidade de retomada de investimentos, aliado ao clima mais frio de abril, deverá alavancar as vendas nesta Páscoa. Para os pequenos supermercados, que não dispõem de climatização nas lojas, é fundamental uma temperatura mais amena, facilitando a exposição dos chocolates  - projeta Longo.

O Fecomércio também projeta um crescimento parecido de 4% a 5% nas vendas como um todo em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a entidade, o cenário econômico é marginalmente melhor do que 2018 e as novidades implementadas pela indústria deverão atrair os consumidores.

 - Temos uma situação econômica mais favorável em 2019, o que favorece as compras de Páscoa. Mesmo passando ainda por um processo de recuperação lenta, os consumidores estão mais confiantes e a confiança é um elemento fundamental para o consumo - ressalta o presidente da entidade, Luiz Carlos Bohn.

 

O QUE DIZ A PESQUISA DA AGAS

- 62% dos consumidores vão comprar os produtos de Páscoa preferencialmente em supermercados (o setor mais uma vez lidera o ranking de preferência dos consumidores). Além disso, 94% dos gaúchos não descartam a possibilidade de efetuar em supermercados as compras de Páscoa.

- Os benefícios apontados pelos gaúchos de comprar produtos para a Páscoa em supermercados passam sobretudo pelos seguintes motivos: comodidade de comprar os chocolates junto com outros produtos (40,4%), preço mais baixo (39,4%), variedade de produtos (37,8%) e proximidade de casa/trabalho (25,5%).

- Os gaúchos vão gastar, em média, R$ 206,00 nas compras de produtos para a Páscoa em supermercados.

- Em relação à intenção de compra comparado com o ano passado, 32% pretendem comprar mais que 2018, metade irá comprar a mesma quantidade (49%) e apenas 19% afirmaram que irão comprar menos que o ano anterior.

- Filhos serão os mais presenteados: 61,5% dos entrevistados afirmaram que irão presentear os filhos, seguido de marido/esposa 38,0%, pais/avós 28% e netos/bisnetos 24,5% no ranking de quem mais será presenteado na data.

- O poder de decisão das crianças é significativo na compra de produtos de Páscoa: 45,0% dos entrevistados apontaram que elas influenciam muito/médio na decisão.

- Compras de última hora: a maioria dos entrevistados pretende realizar as compras de Páscoa na semana que antecede a data (83,5%), sendo que, deste percentual, 34% pretendem comprar no dia da Páscoa ou na véspera.

- Maioria irá comprar à vista: praticamente sete em cada 10 entrevistados afirmaram que vão comprar à vista (69%) e, destes, 70,3% irão pagar em dinheiro e 29,7% em cartão de débito. Dos 31% que irão comprar a prazo, o cartão de crédito se destaca para 79%, seguido do cartão do supermercado com 19,4%. Segundo Longo, a avaliação é de que os consumidores estão evitando o endividamento.

- Procura por produtos artesanais e light: segundo os dados do Instituto Segmento, 19,5% dos gaúchos vão comprar algum chocolate diet ou light. Outros 20% dos consumidores afirmam que comprarão algum produto de Páscoa artesanal, com destaque para ovos (77,5%) e trufas (40%) entre os compradores dos produtos não industrializados.

 

 

A análise dos supermercadistas:

- Vendas: a pesquisa do Instituto Segmento mostra que os empresários do setor estão otimistas em relação às vendas de produtos para a Páscoa: os supermercadistas esperam vender, neste ano, 5,2% a mais do que no ano passado.

- Preços: os preços deste ano estão um pouco maiores do que os praticados no ano passado: o acréscimo médio é de 2,7%, não deflacionado.

- O impacto da Páscoa: o peso das vendas de produtos de Páscoa no faturamento total dos supermercados é de 7,1% em março e de 10,3% em abril.

- Origem dos produtos: atualmente, o mix de produtos gaúchos representa, em média, 34,5% do total de produtos de Páscoa comercializados no Estado, enquanto os produtos de fora do Rio Grande do Sul representam 65,5%.

- Faturamento: ao todo, 12% dos ovos de chocolate produzidos no país serão comercializados no Rio Grande do Sul, representando um total de 8,5 milhões de ovos, que vão alavancar um faturamento de R$ 84,5 milhões para o setor.

- Presente tardio: o bombom é o presente de última hora, quando serão comercializadas cinco milhões de caixas, agregando ao faturamento mais R$ 24,2 milhões.

 

- Variedade: 75% dos supermercados entrevistados vendem produtos de Páscoa light e diet.

- Os carros-chefes: segundo os supermercadistas, os produtos de Páscoa de maior venda são: caixa de bombom, ovos de até 150g e barra de chocolate.

- Vagas de emprego: 25% dos supermercadistas ouvidos pretendem contratar funcionários temporários. A Agas estima que os supermercados gaúchos e principalmente a indústria irão criar cerca de 1,3 mil empregos temporários no Estado, efetivando pelo menos 20% ao final da festividade.

 

 

 

 

 

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS