Quinta-feira, 21 de NOVEMBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

região

Complexo da produtora italiana de pneus, no município, fica na RS-030, no Parque dos Anjos. Transferência da produção de Gravataí para São Paulo vai ser total até 2021

Pirelli vai fechar fábrica de Gravataí e demitir 900 empregados

por Silvestre Silva Santos | Publicada em 13/05/2019 às 20h15| Atualizada em 21/05/2019 às 09h45

A gigante de pneus Pirelli anunciou nesta segunda-feira (13/5) em sua sede global em Milão, na Itália, que vai fechar a fábrica de Gravataí onde são produzidos pneus para motocicletas e veículos automotivos leves.

Paralelamente, informou que investirá 120 milhões de euros (cerca de R$ 530 milhões) no país entre 2019 e 2021, e que que promoverá uma reorganização nas unidades locais, “tendo em vista o cenário conjuntural difícil”.

A produção dos pneus que saem do Parque dos Anjos, em Gravataí, para o mundo, será transferida para a fábrica de Campinas (interior de São Paulo), que atualmente produz o equipamento somente para automóveis.

A fábrica gaúcha emprega 900 funcionários e as demissões já estão sendo negociadas com o Sindicato da Borracha de Gravataí. A transferência da produção para São Paulo deve se dar até meados de 2021 e vai gerar 300 novas vagas nos próximos três anos.

As informações estão no site do jornal Estadão, de São Paulo.

 

Por aqui

 

A notícia de que a Pirelli está deixando Gravataí correu como rastilho de pólvora na tarde desta segunda-feira (13/5) entre algumas lideranças da cidade,e até chegar no meio da tarde à redação do Seguinte:, site parceiro do Diário em Gravataí.

A redação não conseguiu confirmar na esfera local se a fábrica estaria suspendendo suas atividades na aldeia ou repassando a fabricação dos pneus de motos e veículos leves para a ChemChina, grupo chinês que controla a empresa Prometeon.

Os chineses, aliás, compraram cerca de 50% da unidade de Gravataí em negociação fechada no começo de 2016. Eles produzem pneus para veículos pesados e a Pirelli para os mais leves. Ao todo, são 80 tipos diferentes de pneus feitos em Gravataí.

As informações desta tarde motivaram pelo menos duas importantes reuniões. Uma da direção da empresa com o prefeito de Gravataí, Marco Alba (MDB), por volta das 14h.

 

IMPORTANTE 1

 

O nome da Pirelli não consta mais no canteiro do trevo de acesso à fabrica de Gravataí, na RS-030 (avenida Centenário). No lugar está, agora, o da empresa controlada pelos chineses da ChemChina: Prometeon.

 

IMPORTANTE 2

 

Se a fábrica italiana está anunciando as demissões e transferência da produção daqui para São Paulo, significa que o que está acontecendo não é uma simples transferência de operações para a Prometeon dos chineses.

 

IMPORTANTE 3

 

Além das demissões que já estão sendo negociadas, o governo municipal também vai perder importante fonte de recursos através do recolhimento de tributos (veja valores abaixo). A parte recolhida somente pela Pirelli não foi revelada pelo governo.

 

Pela tangente

 

A assessoria de comunicação do prefeito Alba desconversou sobre as razões do encontro de hoje alegando terem sido tratados assuntos pertinentes ao acesso à fábrica pela RS-030 (avenida Centenário) que está sendo duplicada naquele ponto.

A outra reunião desta segunda-feira teria ocorrido, segundo o colunista foi informado, no Sindicato da Borracha, em caráter extraordinário. O presidente Moacir Bitencourt visualizou as mensagens encaminhadas pelo colunista, mas não respondeu.

 

PARA SABER

 

1

A fábrica de Gravataí completou 43 anos dia 8 de maio, quarta-feira passada. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, em matéria de 2018, parte da Pirelli foi comprada em 2015 pela China National Chemical Corp (ChemChina) por 7,1 bilhões de euros.

 

2

Em Gravataí, a fábrica que fica na RS-030, Parque dos Anjos, está dividida em duas empresas: a Prometeon, responsável pelos pneus de caminhão e pelos convencionais, e a Pirelli, encarregada de produzir os pneus de moto.

 

3

O número de empregos diretos também não é informado. Algumas fontes falam em 1.500 funcionários e, outras, em 1.900, fora os empregos indiretos que a fábrica de Gravataí gera envolvendo principalmente empresas terceirizadas.

 

4

A Pirelli de Gravataí é a maior fabricante de pneus para motos do mundo. São quase 10 milhões de pneus produzidos anualmente para equipar cerca de 60% do mercado de motos – de diferentes marcas – do planeta.

 

5

A fábrica – Pirelli e Prometeon juntas – é a segunda maior geradora do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do município, atrás somente da montadora norte-americana General Motors (GM).

 

6

Para 2019 a estimativa de recolhimento de ICMS e pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) por parte da Pirelli fica na faixa dos R$ 14 milhões. Aliás, é a maior pagadora de IPTU de Gravataí, imposto do qual a GM está isento.

 

 

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS