Terça-feira, 26 de SETEMBRO de 2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

conta mais cara

Viamão voltará a cobrar iluminação pública na conta de luz

por Rodrigo Becker | Publicada em 26/05/2017 às 14h03| Atualizada em 06/06/2017 às 13h16

 

Câmara aprovou na quinta a volta da CIP - a Contribuição para Iluminação Pública. E sua conta vai subir de R$ 8 a R$ 14 todos os meses

 

O governo aprovou na quinta-feira na Câmara o projeto de lei que regulamenta a cobrança da Contribuição para Iluminação Pública em Viamão. Na prática, o governo passa para o cidadão o custo da manutenção e dos investimentos em iluminação pública em toda a cidade.

A cobrança já havia sido prevista em dezembro do ano passado quando a administração anterior incorporou a CIP no Código Tributário do município. Retomou, na verdade: Viamão já pagava pelo serviço até 2012 quando, nos últimos dias do governo de Alex Boscaini, a CIP foi revogada pela Câmara. Para voltar a vigorar em 2017, faltava a regulamentação - que é o projeto votado na quinta.

Trocando em miúdos, a conta de luz deve ficar mais cara em R$ 8 por mês para consumidores residenciais e em R$ 14 para comerciais e industriais. Cerca de 5 mil famílias de baixa renda cadastradas pelos programas de assistência social ficam livres da contribuição.

De acordo com o secretário de Gestão, Nilton Magalhães, todos os meses a prefeitura gasta cerca de R$ 400 mil para manter o atual sistema. São aproximadamente 20 mil pontos de iluminação, quase todos utilizando lâmpadas a vapor de sódio - que são baratas, mas tem vida útil muito reduzida e baixa taxa de luminosidade.

- Com a CIP, vamos pagar a conta de energia e fazer um fundo que será utilizado para melhoria desse serviço - conta Nilton.

 

Governo deve apostar em parceria para o serviço

 

Por ano, o custo global com iluminação pública chega a casa dos R$ 5 milhões - segundo os cálculos do secretário Nilton Magalhães. Com a CIP, o governo repassa esses gasto às contas de luz da cidade e, ainda, cria um fundo para melhoria do sistema.

- Nosso plano é dotar toda a cidade com iluminação de LED. A luminosidade é muito maior e a durabilidade das lâmpadas nem se fala. Elas não usam reator, são mais eficientes - relata.

Se todo o sistema já fosse de LED, a prefeitura estima que pagaria apenas R$ 150 mil às concessionárias de energia pela iluminação pública. Hoje, conforme Nilton, se paga R$ 400 mil.

- A CIP cairia de R$ 8 para R$ 2,50 por mês, mais ou menos, para o consumidor residencial.

Com a cobrança instituída, o governo vai migrar para o novo sistema - mas deve levar pelo menos 10 anos para cobrir toda a cidade com as modernas lâmpadas de LED se fizer tudo por conta própria.

- Por isso, pensamos em uma parceria público-privada.

Nesse modelo, uma empresa anteciparia o investimento na troca de todas as luminárias da cidade. Como pagamento, recebe o que se arrecada com a CIP, descontado o gasto com energia elétrica.

- É uma alternativa que o governo estuda. Assim, poderíamos ter iluminação de  excelente qualidade em todas as ruas do município em cerca de dois anos - conclui Nilton Magalhães.

 

 

Administrativo/comercial
51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação
51 3046-6114 - Ramal: 202

redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari - repórter
Guilherme Klamt - repórter/imagens
Silvestre Silva Santos - editor/economia
Maiara Tierling - administrativo/comercial
Rosângela Ilha - diretora
Roberto Gomes - diretor
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS