Quarta-feira, 18 de SETEMBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

cultura

A vida de Gildo de Freitas é tema de peça encenada por grupo estudantil

por Vinicius Ferrari | Publicada em 17/06/2019 às 15h28| Atualizada em 21/06/2019 às 09h33

- Me chamam de grosso eu não tiro a razão, eu reconheço a minha grossura - diz o poeta de branco, como era conhecido Gildo de Freitas, em um vídeo exibido no telão do auditório do SESC Viamão.

Na plateia, cerca de 60 integrantes do grupo "Sesc Maturidade Ativa", que reúne os integrantes da melhor idade da associação.

Fora da sala, se preparando para o espetáculo, cerca de 15 alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Farroupilha, da parada 53, e uma aluna do colégio Castelo Branco, no centro.

- O grupo que encena a peça "Gildo de Freitas - A história do Poeta de Branco" foi formado  durante os festejos das festas farroupilhas no ano passado, que homenagearam o cantor,  onde a família de Gildo de Freitas escolheu, a dedo o grupo de artistas que encenariam a peça – conta Iasmin Cannez, atriz que interpreta Gildo de Freitas no musical.

Nascia assim o grupo teatral "Gritos de Liberdade”, que embora usem a estrutura do Farroupilha para ensaiar, não pertence a instituição. Conversamos com o orgulhoso diretor do Farroupilha, o professor Jussemar da Silva sobre a peça montada pelos alunos.

- É um espaço que estamos mantendo aberto para os alunos, mobilizando através do estudo o esporte e a cultura. Esses alunos são muito queridos por todos nós, pois são a vitrine da escola.

Durante pouco mais de uma hora, o público pode rir do sotaque carregado da Iasmin Cannez, que interpretou Gildo de Freitas, e se emocionar na mesma proporções, como na cena em que o músico escreve uma carta para sua mãe. O machismo, também entrou na roda, em um diálogo entre sogra e nora, em que a primeira culpa a segunda pela ausência do filho dentro de casa.

- Era bem assim, naquela época a gente não tinha voz nenhuma – disse uma senhora sentada na minha fileira para a colega de grupo.

Mais que contar a vida de uma das maiores vozes do Rio Grande do Sul, a peça faz um pertinente registro histórico  de um Rio Grande que cada vez fica mais pra traz, e ainda bem que hoje achamos graça de uma cena onde o marido chega em casa e ordena para que sua mulher lhe tire as botas, faça um chimarrão e lhe banhe antes do mate. Isso mostra que evoluímos quanto sociedade, e que jamais permitiremos que cenas como esta se repitam.

Voltando para os atores, sem puxar brasa para meu assado, já que dei aula de fotografia para boa parte do elenco, quando ainda eram crianças, é de, para usar uma expressão condizente com a época da peça, tirar o chapéu a capacidade dramática da turma. Cenas como a morte de um dos amigos de Gildo, com a mãe chorando sobre o corpo do filho morto, é de arrepiar qualquer um. Se eu, que estou mais próximo da geração dos atores do que de Gildo me emocionei várias vezes, o que dizer da seleta platéia que viveu a Era Gildo de Freitas.

- É muito importante essa relação intergeracional, com toda essa troca de experiências entre o nosso grupo e os alunos da escola. Essa é uma das nossas diretrizes e é gratificante perceber que estamos cumprindo nosso papel – disse ao Diário, Aline Godoi, facilitadora do Grupo Sesc Maturidade Ativa, que atua desde 2016 no município, atendendo pessoas a partir dos 50 anos, com palestras, oficinas, passeios e recreaçõe, todas as quintas-feiras, a partir das 14:30h.

Do outro lado da linha, a diretora do espetáculo, Márcia Camargo, que além de atriz e artista, é Conselheira Tutelar de Viamão. Mácia foi convidada pelos alunos para dirigir a peça, por ter trabalhado com a turma no Mais Educação, dando justamente aulas de Teatro.

- O público escolhido para essa sessão é maravilhoso, por ter convivido com o Gildo. O sucesso dele não foi nada fácil e falar sobre isso é fundamental – conta a diretora.

Ver a juventude fazendo arte, e de qualidade, enche qualquer um de esperança de que dias melhores virão. A cultura e a educação precisam de mais alunos como estes para defender.

Se você quiser assistir a peça, ainda da tempo. Na grande festa em homenagem ao centenário de Gildo de Freitas, que acontece de quarta a domingo desta semana, o grupo se apresenta às 17h de quarta-feira e as 14h de domingo.  A festança será no Parque do Sindicato Rural.

 

Ficha técnica

Iasmin Cannez- Gildo de Freitas

Barbara Nepomuceno - Georgina de Freitas

Ezequiel Amaral - Virgílio Freitas

Luana Almeida - Maria de Freitas

Vitor Belomo- vizinho

Herika Rodrigues - policial

Giovana Camargo - Neuza de Freitas

Jênifer Soares - Dona Carminha

Jhenniefer Araujo  - moça do cartório

Leonardo - Formiguinha

Direção- Marcia Camargo

Produção - Wesley Marquês

Participação especial : Caravana Jorge de Freitas

 Cassiano Gomes

Rodrigo Longaray

Dudu Gomes

Wesley Marques

Neuza de Freitas

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS