Terça-feira, 25 de JULHO de 2017

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

tudão do Diário

Stédile e Geraldinho ao centro, com a bancada do PSB de Viamão | Arquivo, Diário

Geraldinho, a guinada do PSB e a turma querendo sair

por Rodrigo Becker | Publicada em 25/05/2017 às 10h49| Atualizada em 30/05/2017 às 09h43

 

Socialista de Viamão tem ouvido aqui e ali críticas à condução do partido nacional e estadual e já tem gente falando em ruptura

 

Geraldinho Filho, no entanto, não é tão drástico: por enquanto, fala em "movimentação por dentro". Segundo ele, a direção está baseada geograficamente no eixo Passo Fundo/Porto Alegre - e as decisões acabam centralizadas por aí.

- Nosso partido no Estado é muito mais do que isso - afirma.

Querendo mudança, ele e um grupo que ainda tenta levar o deputado federal José Stédile junto, além de prefeitos e vereadores do interior, podem até compor uma chapa para enfrentar a atual direção, que segue a palavra e a linha de Beto Albuquerque  no Rio Grande do Sul.

O PSB faz congressos municipais em julho, o estadual em agosto e o nacional em setembro. Até lá, nada de rompimento com os socialistas, garante Geraldinho.

- A gente conversa sobre isso depois do dia 3 de setembro.

O plano do grupo é que haja uma redistribuição das vagas do diretório e também da Executiva Estadual do PSB entre os demais grupos políticos que hoje compõe o partido.

- Se as nossas demandas forem contempladas, não há porque falarmos em sair.

 

Ao PDT, interessa

 

Os descontentes do PSB interessa ao PDT. E senão todos, uma parte deles vê a mudança com bons olhos. Geraldinho não confirma - mas também não nega - o interesse dos trabalhistas, ansiosos por recuperar a capilaridade que chegaram a ter no Rio Grande do Sul nos anos 90.

Para os eleitos pelo PSB, é uma alternativa para manter-se em um partido de esquerda e que não se incomoda - o PSB também não se incomodou - em propor alianças à direita do espectro político.

Caso de Viamão, onde a parceria do PSB é com os tucanos do PSDB.

 

Candidato, mas só a deputado estadual

 

Geraldinho confirmou, ainda, que só concorre em 2018 se for a deputado estadual.

- O conjunto dos oito partidos que compõe o governo estão convencidos de que dá para eleger um deputado daqui e, para isso, não todos lançarem um monte de candidatos. Se o conjunto entender que sou eu esse nome para a Assembleia, não tem problema nenhum.

Na prática, Geraldinho espera por uma decisão de Valdir Bonatto, o ficha 1 para a disputa.

O ex-prefeito ainda não dá sinais claros sobre suas intenções para 2018. Uma das hipóteses é concorrer à Assembleia para manter-se próximo aos negócios da família, dos quais afastado durante os quatro anos em que foi prefeito. Se concorresse a deputado federal e levasse, Bonatto teria que passar mais quatro anos longe de tudo.

E Bonatto ainda pode herdar a presidência estadual do PSDB gaúcho, hoje nas mãos de Nelson Marchezan Jr., prefeito de Porto Alegre.

- Esse quadro todo ainda não está completo então nós também seguimos avaliando.

Geraldinho só descarta uma candidatura local em 2020.

- Combinei com minha família que a prefeito não concorreria mais.

E parece disposto a cumprir.

 

LEIA MAIS

O que muda no PP com André Gutierres no comando?

O que foi - e para que serviu - a convenção tucana no domingo

 

 

 

 

Telefones:
Depto Comercial - 51 3046-6114 - Ramal: 200
Redação - 51 3046-6114 - Ramal: 202
ADM/Financeiro- 51 3046-6114 - Ramal: 200

Expediente:
Rodrigo Becker - Editor-Chefe
Bruna Lopes - Repórter
Maiara Tierling - Administrativo
Rosângela Ilha - Diretora
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS