Quinta-feira, 14 de NOVEMBRO de 2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

região

Buracos e fissuras já aparecem na pista nova, de concreto, da RS-118, trecho entre Gravataí e Cachoeirinha. Obra tem menos de dois anos que foi liberada para o trânsito.

A RS-118 está se destruindo antes de ficar pronta

por Silvestre Silva Santos | Publicada em 19/03/2019 às 15h26| Atualizada em 24/03/2019 às 20h11

Quem transita todo dia pela RS-118 no trecho entre Sapucaia do Sul e Gravataí já está acostumado com a série de desvios que são obrigados a seguir por conta das obras que vão e vêm. Mais ficam paradas do que vão ou vêm, na realidade, como agora, com trabalhos suspensos há quase dois meses por falta de dinheiro.

Como o governo do estado não faz repasses, a Construtora Sultepa,  que tem vários contratos para tocar a duplicação do trecho, retirou os funcionários, encostou as máquinas e deixou apenas os cones de sinalização que orientam os motoristas por onde seguir, quando há desvios.

Mas esse não é o menor dos problemas!

Com obras que andaram bem desde o final de 2016 até as eleições de 2018, vários quilômetros de pista nova, de concreto, já estão sendo utilizados pelos motoristas. E como o trânsito é intenso, com cerca de 50 mil veículos por dia, em grande parte veículos pesados, transportando cargas, outros problemas já surgem.

No trecho entre Gravataí e Cachoeirinha, Lote 1 da duplicação contratada, são inúmeras as fissuras na pista nova, de concreto, e vários buracos já surgem no trecho. Muito provavelmente, se não houver manutenção adequada – inclusive reconstruindo a pista – a RS-118 voltará a ser aquela velha rodovia esburacada de antes.

Foi o que constatamos em uma nova vistoria no trecho que deveria estar com obras a todo vapor mas, os trabalhos estão simplesmente parados. Tentamos contato com a direção da Sultepa mas ninguém da direção quis falar com a reportagem.

 

IMPORTANTE

 

: Para a conclusão total da duplicação da RS-118, ainda serão investidos cerca de R$ 90 milhões.

: Até agora, já foram investidos, aproximadamente, R$ 250 milhões.

: Assim que os recursos estiverem disponibilizados, será informado o novo cronograma dos serviços.

 


 

Explicações

 

A Secretaria de Logística e Transportes do estado envio e-mail ao colunista comentando a situação das obras e acerca da fiscalização sobre as condições da rodovia, fiscalização que deve ser exercida pelos técnicos do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer).

 

Confira as informações da Assessoria de Imprensa da secretaria.

 

--- Com relação à duplicação da RS-118, destacamos que apenas os serviços no pavimento das rodovias (realizado pela Sultepa nos lotes 1 e 2) estão paralisados, por conta da falta de fornecimento de material asfáltico.

--- O governo do estado está buscando os recursos disponíveis para que o fornecimento seja normalizado (hoje, são necessários mais de R$ 8 milhões), garantindo, assim, o ritmo desejado das obras.

--- Ressaltamos, porém, que todos os viadutos que não estão concluídos seguem com obras em execução, com exceção do viaduto da Trensurb.

Ressaltamos que o governo está tratando a ERS-118 como obra prioritária e, no momento, está focado na busca dos recursos necessários para concluir a duplicação.

 

Sobre as fissuras e os buracos:

 

--- Quanto à fiscalização, ela é de responsabilidade do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), que já está ciente da situação do asfalto entre Gravataí e Cachoeirinha.

--- As ações necessárias para restabelecer o trecho serão adotadas dentro do contrato das obras.

 

Confira o vídeo com o que o Seguinte:, site parceiro do Diário, viu.

 

 

AS OBRAS

 

1

No lote 1, do quilômetro 11 ao 22, 54% das obras do contrato estão concluídas. Da pista nova (de duplicação), 90% dos serviços foram executados. Para a conclusão falta apenas a execução dos encontros do viaduto sobre a avenida Marechal Rondon.

Em relação à recuperação da pista antiga, 55% das atividades foram realizadas. Nas ruas laterais, 75% das obras estão executadas.

Neste trecho fica o viaduto sobre a avenida Itacolomi, em Gravataí, já concluído ed entregue ao trânsito, bem como a elevação do viaduto sobre a RS-020.

 

2

No lote 2 (quilômetros 5 ao 11), 88% das obras do contrato estão concluídas. Da pista de duplicação, 85% dos serviços foram executados. Das ruas laterais, 90% dos serviços estão finalizados. Nesse trecho, ainda estão em execução os encontros do Viaduto Transpetro (cuja estrutura já está concluída) e as três pontes sobre o Arroio Sapucaia.

 

3

No lote 3 (quilômetro 0 ao 5, em Sapucaia), 51% das obras estão finalizadas. A pista de duplicação está com 45% dos serviços realizados. A restauração da pista antiga ainda não iniciou para não prejudicar o tráfego de veículos no segmento.

As ruas laterais estão com 25% dos trabalhos executados. Nesse mesmo segmento da rodovia, as obras no viaduto sobre a avenida Theodomiro Porto da Fonseca estão em andamento. Já no viaduto sobre a linha da Trensurb, estão paradas.

 

Veja fotos.

 

: Obras sobre o Arroio  Sapucaia está só com os alicerces prontos

 

: Buracos e fissuras na pista nova, entre Gravataí e Cachoeirinha

 

: Trecho da desapropriação, na frente do Morro do Coco: Obra parada

 

: Viaduto da avenida Theodomiro, em Sapucaia, única obra sendo tocada

 

 

 

Tainá Rios

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9306 0162
redacao@diariodeviamao.com.br

Vinicius Ferrari

Direção Geral e administrativo
51 9 9962 3023
vinicius@diariodeviamao.com.br

Vitor Zwozdiak

Departamento Comercial
comercial@diariodeviamao.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS