Quinta-feira, 04 de JUNHO de 2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Solidariedade na crise

Mariana (E) e Juliana encontraram jeito de manter negócio sem colocar população em risco e ainda ajudar profissionais de saúde

Comerciantes de Viamão unidos em tempo de coronavírus: vendendo e ajudando a cidade

por Cristiano Abreu | Edição de imagens: Guilherme Klamt | Publicada em 13/04/2020 às 00h| Atualizada em 23/04/2020 às 14h24

Vencer o coronavírus também é uma preocupação econômica. Por isso, empresas de diferentes setores e tamanhos estão se reinventando. Mais do que meios de venda, as novas formas para alcançar os clientes durante a crise estão mudando o jeito de fazer negócios. E algumas vieram para ficar.

O mercado é caracterizado pela competição, mas a pandemia da covid-19 mostrou que há espaço para a solidariedade. E bons exemplos se multiplicam por Viamão, provando que dá para lucar e ainda fazer o bem, sem colocar em risco a saúde de ninguém.

Mesmo de portas fechadas por conta da quarentena, um grupo de comerciantes se uniu e encontrou um jeito de fazer os consumidores comparem sem contrariar as regras de distanciamento social ou pressionar a Prefeitura pela liberação do comércio. A ação começou com as irmãs Juliana e Mariana Johann, que optaram pela conciliação, se uniram a outros empreendedores da cidade e criaram a campanha Voucher Solidário Viamão. A estratégia é simples e eficiente: o cliente adquire um vale compras de R$ 50 em uma das lojas participantes e tem direito a 10% de desconto para novas compras em qualquer uma das demais parceiras.

Conforme Mariana, já são mais de 30 “lojas amigas” de diferentes segmentos engajadas na campanha. O voucher pode ser utilizado em até seis meses após a compra, sempre na loja em que foi adquirido.

– O comércio precisa estar fechado e não sabemos por quanto tempo. Então, essa é uma maneira de a gente se manter nesse período – conta Mariana.

Mas essa não é uma iniciativa que visa apenas o lucro. Preocupados com a saúde da população, os empreendedores destinarão 5% do valor total arrecadado com os vouchers ao hospital de Viamão. A ideia é adquirir equipamentos de proteção individual (EPIs), usados pelos profissionais de saúde, e realizar a doação ainda nesta semana.

– E assim, todos ajudam a cidade e se mantém em casa – completa Juliana.

 

Negócio oxigenado

A ideia do “me ajuda que eu te ajudo” correu pela internet e chegou em outras cidades do estado e do país. Prova de que ideias novas são capazes de ressignificar os negócios daqui para a frente. E algumas iniciativas descobertas durante esse momento de apreensão – financeira e sanitária – podem continuar em uso quando a quarentena acabar. Juliana e Mariana, que transformaram o comércio de roupas da família, estão aí para provar.

 

Novas estratégias

Desde o começo da quarentena, o empresário Antônio Carlos Lysiak, proprietário do pub especializado em cerveja artesanal Beerbox, reforçou a divulgação da empresa em redes sociais e passou a investir na entrega de seus produtos direto na casa dos consumidores. E o que era uma saída momentânea para reverter a queda no faturamento será mantida a longo prazo.

– Temos seis torneiras de cerveja artartesanal funcionado na teleentrega. O retorno está sendo interessante, vamos manter sim após esta crise – afirma Lysiak.

 

Doações arrecadadas pelo Beerbox

 

A responsabilidade social também está presente. A empresa promove uma campanha de arrecadação de donativos, que são distribuídos para moradores de Viamão com dificuldades financeiras por conta da covid-19. Quem doa cinco quilos de alimentos não perecíveis (exceto sal e açúcar) ganha a cerveja artesanal da casa. 

O espaço de shows musicais, que fica no Cantegril, foi transformado em ponto de coleta de donativos há duas semanas e recebe também produtos e limpeza e higiene pessoal. De terça a sábado, quem doar dois quilos de alimentos levar para a casa um livro, cortesia do sebo literário mantido pelo pub.

– Já distribuímos 400 quilos de donativos, mas estamos esperando mais doações, sempre das 18 às 22 horas. Se cada um der um pouco, conseguimos ajudar mais famílias necessitadas – convida Lysiak.

 

Investir em capacitação é a recomendação do Sebrae

 

A queda de faturamento é o principal impacto da crise nos pequenos negócios no RS. Por conta disso, conforme o Sebrae RS, 29% das empresas gaúchas estão reposicionando atividades, sendo que destes, 53% atuam no setor industrial. 

Conforme o gerente de gestão estratégica da entidade, André Campos, medidas como a redução de horário de funcionamento estão entre as práticas mais adotadas (26%) pelos empreendedores. Após, seguem medidas como ampliação das vendas online (24%), renegociação de financiamentos existentes (23%), implantação do teletrabalho (22%) e busca por financiamento para despesas imediatas (13%). 

 

Consultorias online

 

Tendo em vista as necessidades, o Sebrae RS desenvolveu novas consultorias online para apoiar os pequenos negócios. De acorodo com Campos, trata-se de uma adaptação da Consultoria em Gestão que agora passa a funcionar no modelo digital, em função da restrição de contato e isolamento social. Elas estão disponíveis na página: sebraers.com.br/consultoriaonline.

 

Doe com a Beerbox

Endereço: Avenida Salgado Filho, 6614

Telefone: (51) 99252-5349

Para acessar a rede social, clique aqui

 

Lojas parceiras da campanha Voucher Solidário:

Artecolor
Alô, Guria
Armazém do doce
Avivit Semijoias
bali._art
Bazar Bom e Barato
Cacau Show lojas Viamão
Loja Rio Surf / DOPE
Escola Unique Beauty
Festa na Escola
Festa e Balões
Ibiamon Bar
Lilás
Magali Gonçalves
Ohana Store
RobyhsoundCar Som & Acessorios
Salão de Beleza Unique Espaço Vip
Trempe Cerveja e Parrilla
Vivi's Closet

 

Diário de Viamão fez vídeo com imagens do Facebook da campanha Voucher Solidário Viamão:

 

 

LEIA TAMBÉM

Viamão chega a 10 casos de covid-19

 

Sem salários, servidores da saúde paralisam atividades, e terceirizada cobra repasses atrasados da Prefeitura

Mais uma tentativa da Prefeitura em liberar o comércio de Viamão é barrada

MPF ameaça Russinho por isolamento social; ’CPFs ou CNPJs cancelados’ em Viamão?​

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
cristiano@grupocg.com.br

Rafael Martinelli

Editor
rafael@grupocg.com.br

Roberto Gomes

Diretor
roberto@grupocg.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS